Destaque

Agora, também um Volare livre de contaminação

0

Volare começa a apresentar seus modelos com o Biosafe

Depois da Marcopolo, chegou a vez de investir na biossegurança também na Volare. Agora, todos os pequenos ônibus da encarroçadora gaúcha também já podem sair de fábrica com o pacote Biosafe, que a Marcopolo lançou há alguns meses para “combater” o novo Coronavírus dentro dos ônibus.

Entre os itens de segurança que podem ser requisitados estão:  dispensers de álcool em gel, tecidos de poltronas e cortinas antimicrobianos, tratamento de ar-condicionado,  divisórias entre passageiros e o motorista, luz ultravioleta e layout de três fileiras e dois corredores para garantir distanciamento, com cerca de 1 metro para cada passageiro.

O gerente nacional de vendas da marca, Sidnei Vargas, explica que o cliente também pode optar pela Fip Onboard, que é uma nebulização do interior do veiculo com solução saneante. “Essa é uma opção para o intervalo de paradas. O cliente joga essa névoa de soluções e o ônibus fica desinfectado para a próxima viagem”, completa.

No caso do modelo apresentado, o Fly 10, para atender a Biosafe, foram retiradas 5 poltronas (o modelo normal possui 35 assentos), garantindo o distanciamento e deixando com uma maior privacidade quem for ser transportado. “É uma alternativa muito interessante. Costumo comparar com os aviões, onde ficamos muito próximos e sem “liberdade”. Com essa configuração, cada passageiro tem seu espaço garantido. E digo mais, acredito que no pós pandemia, principalmente o segmento de turismo é um forte candidato para manter esse tipo de layout”, afirma.

Em relação ao preço, o executivo garante que não “mexeu” no valor final, uma vez que a retirada das poltronas nos veículos compensa a colocação do pacote Biosafe. “Fica equilibrado o valor com a redução das poltronas. O veículo leva todo essa pacote de tecnologia que é percebida pelo passageiro”.

Importante salientar que os ônibus usados também podem fazer o chamado “retrofit” e colocar o Biosafe. É só agendar nos concessionários para colocar a tecnologia. Contudo, Vargas comenta que para a configuração das poltronas será preciso levar os veículos na fábrica, onde serão reconfiguradas nas plantas de Caxias do Sul (RS) e São Mateus (ES). “São mudanças mais complexas e que não podem ser realizadas nos concessionários”.

Mais mulher ao volante!

Previous article

Um “tapa” no F2400

Next article

You may also like

Comments

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

More in Destaque