Destaque

A rivalidade dá lugar a parceria!

0

Daimler e Volvo juntas em prol das células de combustível

Rivais? Em um certo ponto sim, em um certo ponto não! Lógico que a Daimler com suas marcas e o Grupo Volvo querem vender cada vez mais e ter, logicamente, o caminhão ou o ônibus mais “querido” ou apreciado ou comprado pelos clientes do globo. Contudo, quando se fala de futuro, a “rivalidade” dá lugar a parceria.

Por isso, as duas gigantes se uniram e definiram oficialmente seu plano de ação pioneiro para a nova joint venture de células de combustível, a “cellcentric GmbH & Co. KG”, como parte de um compromisso do setor para acelerar o uso de células de combustível baseadas em hidrogênio para veículos pesados de longa distância e outras aplicações.

Com a ambição de se tornar uma fabricante global líder de sistemas de células de combustível, a “cellcentric” construirá uma das maiores unidades de produção em série de sistemas de células de combustível da Europa, com início de produção programado para 2025. E, para agilizar o lançamento das células de combustível baseadas em hidrogênio, as duas acionistas da joint venture pedem por uma estrutura de políticas de hidrogênio harmonizadas na União Europeia em apoio à tecnologia, para que se torne uma solução comercial viável.

Essas ambições foram reveladas como parte do lançamento online exclusivo de hoje (29), conduzido por Martin Daum, CEO da Daimler Truck AG e membro do Conselho de Administração da Daimler AG, e Martin Lundstedt, presidente e CEO do Grupo Volvo. Projetada para ajudar a cumprir as metas de 2050 para um transporte sustentável e uma Europa neutra de emissões de carbono, como parte do Acordo Verde Europeu, a “cellcentric” desenvolverá, produzirá e comercializará sistemas de células de combustível para veículos pesados de longa distância e outras aplicações. A joint venture poderá se beneficiar com décadas de expertise e trabalho de desenvolvimento do Grupo Daimler e do Grupo Volvo.

De acordo com o Grupo Daimler e com o Grupo Volvo, caminhões elétricos movidos a bateria e caminhões movidos por células de combustível baseadas em hidrogênio se complementarão dependendo do caso individual de uso requerido pelos clientes. A energia obtida por meio de baterias será mais utilizada para cargas mais leves e para distâncias mais curtas, enquanto a energia das células de combustível tende a ser a opção preferida para cargas mais pesadas e distâncias mais longas.

Martin Daum, CEO da Daimler Truck AG e membro do Conselho de Administração da Daimler AG, diz: “Os caminhões elétricos movidos a células de combustível baseadas em hidrogênio serão a chave para permitir o transporte neutro de CO2 no futuro. Em combinação com caminhões elétricos movidos a bateria, permite-nos oferecer aos nossos clientes as melhores opções de veículos genuinamente neutros de CO2, dependendo da aplicação. Os caminhões elétricos movidos a bateria sozinhos não tornarão isso possível. Junto com o nosso parceiro, o Grupo Volvo, estamos, portanto, totalmente comprometidos com a nossa joint venture de células de combustível, a ‘cellcentric’, e estamos avançando no desenvolvimento da tecnologia, bem como nos preparativos para a produção em série. Com relação à infraestrutura de hidrogênio necessária, está claro que o hidrogênio verde é a única maneira sensata de avançar a longo prazo.”

Martin Lundstedt, presidente e CEO do Grupo Volvo, afirma: “Nossa ambição conjunta é cumprir as metas do Acordo de Paris de nos tornarmos neutros em relação ao CO2 até 2050, o mais tardar. Estamos convencidos de que a tecnologia de células de combustível baseadas em hidrogênio desempenhará um papel essencial para nos ajudar a alcançar esse marco. Mas sabemos que há muito mais a alcançar do que apenas a eletrificação de máquinas e veículos. É preciso haver maior cooperação entre os stakeholders públicos e privados para desenvolver a tecnologia e a infraestrutura necessárias, e é por isso que pedimos uma ação unida de legisladores e governos em todo o mundo para nos ajudar a tornar a tecnologia das células de combustível baseadas em hidrogênio um sucesso. Parcerias como a ‘cellcentric’ são vitais para o nosso compromisso com a descarbonização do transporte rodoviário.”

Os principais fabricantes de caminhões na Europa, também apoiados pelo Grupo Daimler e pelo Grupo Volvo, estão, portanto, pedindo a instalação de cerca de 300 postos de abastecimento de hidrogênio de alto desempenho adequados para veículos pesados até 2025 e de cerca de 1.000 postos de abastecimento de hidrogênio no máximo até 2030 na Europa. Esta iniciativa conjunta, usando o hidrogênio como um meio de “eletricidade verde” para abastecer os caminhões elétricos em operações de longa distância, é uma parte importante da descarbonização do transporte rodoviário.

Como os caminhões neutros em CO2 são, atualmente, significativamente mais caros do que os veículos convencionais, uma estrutura de política é necessária para garantir a demanda e a acessibilidade. De acordo com o Grupo Daimler e com o Grupo Volvo, isso deve incluir incentivos para tecnologias neutras de CO2 e um sistema de tributação baseado no conteúdo de carbono e energia. Um sistema de comércio de emissões pode ser uma opção adicional.

Conhece a Sprinter Truck?

Previous article

O “bruto” dos brutos da Iveco

Next article

You may also like

Comments

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

More in Destaque