Notícias do Dia

E voltou a subir

0

Preço médio dos combustíveis em alta na Região Sudeste neste início de junho, aponta Ticket Log

Apresentando baixas nos preços desde janeiro, a Região Sudeste registrou o primeiro aumento no valor dos combustíveis durante os 15 primeiros dias de junho. A gasolina que antes era encontrada a R$ 4,077 foi vendida no período a R$ 4,147, um avanço de 1,72%. O etanol que também vinha em queda foi encontrado nas bombas ao preço médio de R$ 3,057, 0,89% mais caro que o vendido em maio. A menor alta foi sentida no diesel, 0,84% elevando o preço médio a R$ 3,117. Único combustível a apresentar queda nos preços, o gás natural veicular (GNV) foi considerado o mais barato do País no Sudeste, comercializado a R$ 3,130, recuo de 1,23% frente a maio.

“O último IPTL revela um cenário de alta que já era esperado devido aos anúncios de aumento no repasse nas refinarias. O incremento no Sudeste foi leve em relação às demais regiões. A gasolina, por exemplo, teve o segundo menor reajuste do País, atrás apenas do Norte que registrou alta de 1,44%. Devemos continuar acompanhando para entender se esse comportamento se manterá ao final do mês.”, afirma o head de Mercado Urbano da Edenred Brasil, Douglas Pina.

A análise dos preços por Estado sinaliza que mesmo com alta, o ranking de maiores e menores preços se manteve igual ao de maio. O Rio de Janeiro continua liderando com os valores mais altos para todos os combustíveis. A gasolina foi vendida no início de junho a R$ 4,521 e o etanol a R$ 3,621, alta de 1,9% e 1,4%, respectivamente. Já o diesel foi encontrado nos postos cariocas ao preço médio de R$ 3,225, um aumento de 0,3%. Já os menores preços continuam nas bombas de São Paulo, mesmo com aumento de 2,8% o etanol foi encontrado nos postos paulistas a R$ 2,442, enquanto a gasolina teve aumento um pouco menor, 1,7% e foi comercializada a R$ 3,829. O aumento para o diesel também foi menor, 1,5% fazendo com que o combustível fosse encontrado ao preço médio de R$ 3,022.

Digitalizooouu!

Previous article

Se tá difícil para os caminhões…

Next article

You may also like

Comments

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *