Destaque

Guerra aquece as máquinas e se prepara para voltar!

0

Guerra se prepara para entregar primeiro implemento em setembro

Após quatro anos da interrupção de suas atividades a Guerra, em Caxias do Sul (RS), deverá fabricar seu primeiro implemento rodoviário em setembro desse ano. O modelo será um semirreboque Graneleiro e marcará a volta da marca ao mercado brasileiro, dessa vez operando em sintonia com a Rodofort, de Sumaré (SP). “O cronograma de reativação estão caminhando dentro do previsto e em breve os produtos da Guerra estarão novamente rodando pelo Brasil afora”, afirma Alves Pereira, diretor-geral da Rodofort.

A equipe responsável pela reativação da Guerra em Caixas do Sul (RS) conta com 30 pessoas e chegará a mais de 100 quando a produção for reiniciada. A força de trabalho está sendo selecionada na própria região porque há mão de obra especializada.

O trabalho atual da equipe tem sido checar o estado do maquinário da Guerra, há quatro anos parado, além de verificar e limpar todas as demais instalações, da linha de produção e dos escritórios até os jardins. “Tivemos a surpresa positiva ao constatar o bom estado em que se encontra o maquinário da Guerra”, disse o executivo que completou: “a equipe de manutenção da empresa fez um ótimo trabalho”.

A aquisição da Guerra foi feita em março em leilão por R$ 90 milhões e os investimentos para fazer a empresa voltar a operar serão de aproximadamente R$ 10 milhões. O valor inclui desde a manutenção das máquinas até a aquisição de matéria-prima e contratação e treinamento de pessoal.

A Guerra vai operar de forma complementar à Rodofort fabricando produtos da linha Pesada como Basculante, Tanque e Graneleiro. Já a unidade industrial em Sumaré fabricará os modelos Sider, Baú, Porta-conteiner e Florestal, todos também do segmento de Pesados. A expectativa em 2021 é distribuir ao mercado interno 2.350 unidades, sendo 250 da Guerra e 2.100 da Rodofort.

“Quando a produção for reiniciada estaremos trazendo de volta ao setor de transporte uma das marcas mais emblemáticas de sua história”, afirma Alves que completa: “para todos nós é motivo de muito orgulho participar do trabalho de retorno ao mercado da Guerra”.

Uma cabine “casa” Scania na Europa

Previous article

Uma rota de atenção!

Next article

You may also like

Comments

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

More in Destaque