Notícias do Dia

Um estudo aprovado!

0

ANTT aprova estudos para nova concessão da BR-116/101/RJ/SP

A Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) aprovou, nesta terça-feira (27), os estudos realizados pela Empresa de Planejamento e Logística (EPL) para a nova concessão da Rodovia Presidente Dutra, como é conhecido o trecho da BR-116 que liga as cidades de São Paulo (SP) e Rio de Janeiro (RJ). O projeto também contempla a concessão da BR-101 entre os municípios do Rio de Janeiro (bairro Campo Grande) e Ubatuba (SP). Nestas rodovias circulam milhões de veículos diariamente, caminhões carregados em direção aos principais pontos de distribuição de bens e mercadorias, como o Porto de Santos, Aeroporto de Guarulhos, as Regiões Sul, Nordeste e Centro-Oeste.

Agora, o projeto segue para o Ministério da Infraestrutura, que analisa o Plano de Outorga e submete os documentos de licitação ao Tribunal de Contas da União (TCU). A aprovação pelo órgão de controle é a última etapa antes da publicação do edital de concessão. A expectativa de realização do leilão é para o primeiro semestre de 2021. O novo operador administrará a rodovia pelo período de 30 anos. Nesse período, serão investidos mais de R$ 14,5 bilhões e gerados 340 mil empregos (diretos, indiretos e efeito-renda – quando um emprego é gerado a partir da transformação da renda dos trabalhadores e empresários em consumo ).

O ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, ressalta que os estudos atendem às necessidades do usuário que utiliza a rodovia. “As melhorias previstas aumentarão a fluidez e segurança nas operações logísticas no trecho. Teremos uma grande quantidade de soluções de duplicação, vias marginais, faixas adicionais, implantação de dispositivos de melhorias, recuperação do pavimento, manutenção e conservação da via ao longo de todo o período de concessão e prestação de serviços aos usuários e inovações tecnológicas”, avalia o ministro. Ainda, haverá um impacto favorável na segurança do transporte de carga e de passageiros, reduzindo a ocorrência de avarias e acidentes.

Aquele “up” na fábrica

Previous article

Conversa de responsa

Next article

You may also like

Comments

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *