Carga

Uma quase cinquentenária

0

Allison Transmission está prestes a completar 50 anos na América do Sul. Maior fabricante mundial de transmissões automáticas para caminhões comerciais e sistemas híbridos para veículos de transporte de passageiros, a Allison Transmission tem mais de 100 anos de tradição e experiência nos segmentos de veículos que demandam alta severidade de utilização. A empresa chegou na América do Sul em meados da década de 1970, como parte integrante da General Motors, e assim permaneceu até dezembro de 2009, quando passou a operar sem a tutela do fabricante de veículos. Desde essa data a Allison já entregou em torno de trinta mil transmissões para as mais diversas vocações na região.

Nesse período de permanência no continente sul-americano a Allison conquistou a confiança e a credibilidade que são necessárias para atuar em uma ampla gama de aplicações vocacionais como agricultura, construção, distribuição, energia, incêndio e emergência, mineração, extração de petróleo, serviços municipais e públicos como os trabalhos em portos e coleta de lixo, micro-ônibus, além de veículos militares e de recreio, como os motorhomes, e tratores.

Os principais OEM parceiros da Allison são a MAN, a Mercedes-Benz, a Iveco, a Scania e a Randon, com as quais mantém o desenvolvimento contínuo de modelos automáticos para veículos de construção, lixo, caminhões de bombeiros e veículos de emergência para aeroportos. Para situações que envolvam obras pesadas, por exemplo, 100% dos caminhões Randon são equipados com as transmissões Allison.

Os modelos voltados para a coleta de resíduos e as betoneiras dirigidas para a construção civil ꟷ aplicações que têm uma demanda altíssima de anda e para ꟷ vêm conquistando aceleradamente a preferência dos frotistas em função da resistência e da durabilidade das automáticas Allison. O fato de o caminhão enfrentar uma operação extremamente pesada, sem falhas, com baixa manutenção e alta produtividade tem sido essencial para os frotistas.

 “Um dos motivos que nos levou a incorporar os veículos automáticos à nossa frota de coletores de resíduos foi melhorar nosso custo operacional. Outro fator que pesou nessa definição foi a praticidade de utilização, o conforto e a segurança para os motoristas”.disse Charles Pereira Bezerra, supervisor de manutenção da Elus Engenharia, de Recife, em Pernambuco.

Debut nos basculantes

Previous article

E-commerce busca superar gargalo logístico

Next article

You may also like

Comments

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

More in Carga