Scania e Morada agora vão para o GNL!
Depois do GNV, Morada Logística compra cinco caminhões movidos a GNL da Scania

Dando continuidade a transição para uma mobilidade sustentável, a Scania segue se destacando no mercado brasileiro. Depois de “plantar” e sim, fazer os clientes “colherem” os modelos a GNV, agora é a vez do GNL (gás natural liquefeito). Seu tradicional cliente e “parceiraço”, a Morada Logística, do interior paulista, acaba de anunciar operações com caminhões movidos a GNL.

Foram cinco unidades compradas da Scania com programação de entrega ao longo de 2022. O início das atividades será já a partir deste mês de fevereiro numa rota dedicada no interior de São Paulo. A Morada comprova ainda mais sua vocação para a sustentabilidade com a aquisição de outros 25 caminhões Scania para abastecer com gás (natural e/ou biometano).

“Demos mais um passo histórico, desta vez com a Morada Logística. A Scania assumiu com muita responsabilidade o desafio de liderar a transição para um sistema de transporte mais sustentável. A primeira venda de caminhões movidos a GNL mostra o amadurecimento da Morada na preocupação com a sustentabilidade e a visão de futuro, baseada em viabilidade de dados concretos, escolhendo uma solução que trará muitos benefícios para sua operação”, afirma Silvio Munhoz, diretor de Vendas de Soluções da Scania no Brasil. “Parabéns para a Morada pelo pioneirismo e visão mais sustentável, e por fazer parte de um seleto grupo de transportadoras que grava seu nome na história do transporte de cargas pelo propósito singular de tornar o planeta menos poluído e dependente do diesel.”

“Com mais de 500 equipamentos próprios e 60 milhões de quilômetros rodados por ano, entendemos a nossa responsabilidade e queremos contribuir com a sustentabilidade do transporte rodoviário de cargas. Investir em veículos menos poluentes está entre as nossas apostas de negócio”, explica André Leopoldo, CEO da Morada Logística.

No início de 2019, a Morada foi a primeira empresa a testar os caminhões Scania movidos a gás. De lá para cá, foram mais de 400 mil km rodados entre o interior de São Paulo e Santos, que ajudaram a validar os equipamentos, que hoje fazem parte da frota da companhia. O  modelo escolhido para compor a nova frota de 30 unidades é o R 410 6×2, com carreta três eixos espaçados. Além dos equipamentos movidos a gás, a empresa também investiu recentemente na aquisição de caminhões elétricos, que hoje atuam em Campinas nas operações de carga fracionada.

Compartilhe essa matéria em suas redes sociais

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

+ dessa categoria
Rodovias 5 estrelas!

Rodovias 5 estrelas!

DNIT avança na classificação de rodovias federais pela metodologia IRAP

+ categorias