Pesados puxando os pneumáticos!
ANIP prevê possível retomada das vendas de pneus em 2022

As vendas totais de pneus em 2021 fecharam em alta de 9,6% quando comparado com o ano de 2020, mas apesar do crescimento, não alcançou os patamares pré-pandemia, ficando 4,5% abaixo na média, segundo a Associação Nacional da Indústria de Pneumáticos (ANIP).

Para 2022, a associação prevê a recuperação do setor, mas há alguns pontos de atenção que podem alterar o resultado previsto. “A retomada se dará principalmente pelo volume de vendas para o segmento de veículos pesados, que deve ser puxado pela próxima fase do Programa de Controle da Poluição do Ar por Veículos Automotores (Proconve), e por uma melhora nas vendas no segmento de veículos leves no mercado de equipamentos originais, mas temos algumas variáveis que podem frear o crescimento da indústria em 2022, como a falta de semicondutores – que paralisa ou reduz produção de veículos das montadoras –, a alta na taxa de juros no país, a alta no preço dos combustíveis, a inflação que atua diminuindo o poder de compra dos consumidores e até mesmo um novo isolamento social. Em janeiro e fevereiro, o número do mercado de pneus mostrou que a nossa projeção para 2022 é de um ano sem muito crescimento em relação aos anos pré-pandemia.” analisa Klaus Curt Müller, presidente executivo da ANIP

Para o mercado de veículos pesados, os números mostram um pico em 2022, com algo próximo as 2 milhões de unidades vendidas para montadoras em decorrência principalmente do Proconve, que em sua última fase ocorrida em 2011, chegou a bater 2,7 milhões de pneus vendidos. Nesse caso, a importância dos semicondutores e a programação das montadoras se tornam ainda mais preponderante para a consolidação da demanda calculada pela ANIP. Na reposição, 2022 também deve apresentar uma alta nas vendas, devendo ficar em 6,3 milhões de unidades.

Compartilhe essa matéria em suas redes sociais

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

+ dessa categoria
Rodovias 5 estrelas!

Rodovias 5 estrelas!

DNIT avança na classificação de rodovias federais pela metodologia IRAP

+ categorias