Fretado “usou pagou”!
Modelo de trabalho híbrido faz startup de fretamento apostar no método pay per use e ampliar em 108% número de usuários

O modelo de trabalho híbrido – escritório e home-office – é uma tendência que chegou para ficar em muitas empresas. A necessidade de maior distanciamento e menos deslocamento em razão da pandemia da covid-19 acelerou esse processo de inovação. 

De acordo com uma pesquisa da 18ª edição do Índice de Confiança da consultoria Robert Half (ICRH), 48% das organizações brasileiras já implementaram ou estão em vias de adotar o formato de trabalho em 2022. A partir disso, surge uma demanda diferente para atender os usuários que precisam do transporte fretado para trabalhar: pagar apenas pelos dias em que necessita dele. 

A mobiGO, solução 100% digital de fretamento do Grupo JCA, adota o modelo pay per use para os clientes do executivo – pessoas físicas. O formato traz opções de embarque por quantidade semanal ou em dias fixos, se adequando à necessidade individual. Com o avanço da implantação do modelo híbrido, a procura por essa modalidade na startup cresceu 108% em relação a 2020. A maior demanda pelo serviço vem de pessoas que moram em cidades da Baixada Santista, Campinas, Sorocaba e Jundiaí, e trabalham em São Paulo e Barueri (Alphaville).

Atualmente, mais de 8.500 passageiros são transportados diariamente. A expectativa é que esse número cresça em 115% ainda em 2022, somando ao incremento de novas rotas: mais 60 deverão ser disponibilizadas.

“Temos acompanhado as necessidades tanto dos clientes como também das empresas para o retorno das atividades presenciais ou de forma híbrida. Com essa nova realidade nas relações de trabalho, oferecemos um produto flexível para quem precisa se deslocar com segurança e conforto, seja diariamente ou apenas algumas vezes por semana”, explica Fernando Edelson, head da mobiGO.

Danilo Iwono é um dos clientes que contratou o serviço oferecido da mobiGO para se deslocar de Sorocaba para São Paulo, três vezes por semana — segunda, quarta e quinta-feira -, há aproximadamente um ano e meio. “Para fazer esse deslocamento de carro se gasta muito mais, ainda mais depois do reajuste do combustível e ainda tem estacionamento, dificuldade de encontrar vagas, a manutenção do veículo é maior e o desgaste físico de vir dirigindo. O fretado para mim é sinônimo de comodidade e custo-benefício”, conta.

Na palma da mão

Implantado há três anos, a mobiGO visa facilitar o deslocamento diário das pessoas que trabalham fora da cidade em que residem, por meio do modelo de fretado executivo. Tudo é feito digitalmente: escolha da melhor linha considerando horário e locais de embarque e desembarque, seleção dos dias em que necessita do transporte, a contratação do serviço, acompanhamento de localização do ônibus em tempo real e controle de embarque através do check-in.

Compartilhe essa matéria em suas redes sociais

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

+ dessa categoria
+ categorias