Na gíria do transporte!
"Transportês": o idioma do transporte coletivo de Sorocaba

Toda área profissional possui seu próprio vocabulário e na área de transporte não é diferente. Nas empresas BRT Sorocaba e Consor, o idioma mais falado é o “transportês”, uma linguagem particular e única que é usada por quem está no dia a dia do ônibus.

Seja nos terminais, nas estações, nos pontos de parada, na garagem ou dentro dos ônibus, o “transportês” é a língua-mãe que conecta todos os colaboradores e ajuda na comunicação diária durante a realização das atividades. O vocabulário é peculiar, mas quem trabalha no setor compreende perfeitamente.

Entre funcionários é comum ouvir que um colega é “padrão”, que no começo do trajeto “bate lata” ou que chegou o momento de “bater lavanca”. Aqueles que conseguem uma escala boa são chamados de “peixe”. Se for motorista novato é batizado de “calça branca”. E, todos os dias próximo ao meio-dia é “hora do galo de briga”. Por não serem expressões comuns para o público geral torna-se difícil de entender, mas dentro das empresas BRT e Consor, a comunicação flui muito bem.

Andréa Liupekevicius, Líder e Supervisora de Recursos Humanos, explica que as pessoas que estão entrando no mercado de transporte acham diferente, mas com o tempo se acostumam e no decorrer da convivência começam a falar também.

“Podemos dizer que o “transportês” é como aprender um novo idioma. No começo é estranho, mas conforme vai ouvindo as pessoas se comunicando, vai se acostumando. Nós, do RH, também aprendemos para poder compreender quando chegam algumas demandas. O aprendizado é constante e muito enriquecedor. Algumas expressões são bem curiosas”, explica.

Enquanto o setor de RH fica mais dedicado ao campo administrativo, nos trajetos e dentro dos ônibus, circula o Supervisor de Tráfego, Reginaldo Ribeiro, que também observa o desenvolvimento desse vocabulário no dia-a-dia e afirma que a linguagem do “transportês” é muito espontânea e tudo acontece de forma natural.

“Já estamos tão no automático que se mudar a forma de expressar de algumas palavras, acho que nem iremos compreender. Funcionamos e nos entendemos com esse dialeto, o trabalho é executado com a mesma qualidade, atenção e segurança”, complementa. 

Glossário

Bater lata: andar com ônibus vazio.

0800: passageiro gratuito.

Padrão: dirige articulados.

Peixe: tem a melhor escala.

Meia roda: motorista barbeiro.

Roda presa: motorista lerdo.

Pegou ar: o motorista ficou bravo.

Casca dura: motorista grosseiro.

Calça branca: motorista novato.

Camisa branca: fiscal.

Chefia: supervisor.

Bater lavanca: hora de trabalhar.

Passariando: motorista que anda com o ônibus em zigue-zague.

Encarroçado: quando o manobrista passa para o motorista.

40 janela: ônibus.

Hora do galo de briga: almoço.

QRX: refeição ou lanche.

Pelego: puxa saco.

QRU: namorada/esquema.

B.O: problema.

Treta: briga ou encrenca.

QTH: local.

QTR: hora exata.

QSL: entendido.

QTA: deixa quieto.

QTO: banheiro.

X9: quem entrega.

TKS: obrigado.

Compartilhe essa matéria em suas redes sociais

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

+ dessa categoria
BR-135/MG impulsionada!

BR-135/MG impulsionada!

Pavimentação de trecho da BR-135 permitirá integração regional no norte de Minas Gerais

NTU se posiciona!

NTU se posiciona!

NTU pede medidas efetivas de estabilização do preço do diesel para evitar aumento da tarifa ou redução do transporte público

+ categorias