Satisfação com as automáticas!
Ônibus urbanos com transmissões automáticas Allison surpreendem empresa de transporte público de Porto Alegre

Atuando há quase 64 anos no transporte coletivo da cidade de Porto Alegre, Rio Grande do Sul, a Viação Teresópolis Cavalhada Ltda. (VTC), fez sua primeira experiência com as transmissões totalmente automáticas Allison ao adquirir dois ônibus Mercedes-Benz OF 1721 L com motor dianteiro para uma primeira avaliação e ficaram satisfeitos. No momento, a empresa possui uma frota composta por 100 ônibus que roda aproximadamente 8,1 milhões de quilômetros/ano servindo aos principais bairros da Zona Sul da cidade.

“Os ônibus automáticos estão conosco desde 2019, mas por causa da pandemia acabaram ficando parados por muito tempo e somente entraram em atividade no ano passado”, disse Marcelo Andreidis Scheffel, Gerente de Manutenção da empresa. “Nossa frota circula por percursos extremamente acidentados, onde o powertrain desses veículos são intensamente exigidos. As linhas urbanas com relevo mais complicado da grande Porto Alegre estão exatamente na zona sul, nossa área de atuação. Os ônibus equipados com as transmissões Allison tem consumo de combustível semelhante e, em vários momentos, bem melhor que o dos nossos modelos com transmissão manual”.

Outro ponto que chamou a atenção da empresa foi a praticidade e a facilidade de operação. Os dois ônibus automáticos foram designados para quatro motoristas, dois para cada veículo, que passaram a trabalhar de forma tranquila, sem estresse, relatando que as mudanças de marchas são sempre feitas de forma eficiente, mesmo nas subidas mais íngremes. Eles também sentiram a redução do desgaste físico pela ausência da necessidade de pisar centenas de vezes no pedal da embreagem e de trocar as marchas manualmente.

“Estamos gostando muito da baixa manutenção dos veículos”, diz Scheffel. “Por meio da seletora de marchas podemos observar a necessidade da troca do óleo lubrificante e, muitas vezes, constatar que esse momento ainda está longe”. Por meio dos comandos eletrônicos da transmissão, a detecção de qualquer imprecisão operacional é exibida por um código de falha no visor digital na seletora de marchas. Ainda por meio desse visor, é possível ler o nível de óleo da transmissão e saber o momento mais adequado para a sua substituição.

A VTC destaca que nos modelos com transmissão manual, entre 50 mil e 80 mil quilômetros eles exigem algum tempo de inatividade para a substituição do sistema de embreagem, o que não acontece com ônibus com as automáticas Allison. Também chamou a atenção de Scheffel o fato de que as transmissões automáticas desses dois Mercedes-Benz OF 1721 L não estão equipadas com retarder, e mesmo assim o desgaste das lonas do sistema de freios é abaixo do esperado, muito inferior ao dos modelos manuais.

Compartilhe essa matéria em suas redes sociais

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

+ dessa categoria
Novas tarifas!

Novas tarifas!

Tarifas de linhas semiurbanas de diversas regiões do país são atualizadas

Quase real!

Quase real!

Honeywell melhora sua experiência de treinamento industrial com tecnologia de realidade aumentada

+ categorias