Mais qualidade no asfalto!
DNIT aprimora avaliação estrutural do pavimento com auxílio de tecnologia australiana

O Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT), por meio da Diretoria de Planejamento e Pesquisa (DPP), está trazendo ao Brasil uma nova e exclusiva tecnologia de serviço técnico especializado para caracterização de pavimentos rodoviários, trata-se da metodologia Intelligent Pavement Assessment Vehicle – iPAVe, com veículo TSD – o primeiro sistema de avalição de condição de superfície e subsuperfície totalmente integrado, fornecendo dados funcionais e estruturais na velocidade operacional da via. Por muitas décadas, e ainda hoje, a análise da condição estrutural é feita por dispositivos estacionários ou em movimento lento, causando situações perigosas no tráfego.

Atualmente, o DNIT realiza seus levantamentos com equipamentos especiais em ambiente sujeito a condições adversas, com a utilização do Veículo de Diagnósticos de Rodovias – VDR, capazes de obter o IRI, o Registro em Vídeo e o Levantamento Visual Contínuo de Defeitos, LVC. O IRI, mede as irregularidades do pavimento, que causam desconforto aos motoristas; o Registro em Vídeo, documenta a situação de uma rodovia em momento específico do tempo. Uma das finalidades deste registro é o cadastro de defeitos do pavimento, realizado pelo Levantamento Visual Contínuo.

Já o equipamento utilizado para avaliação estrutural do pavimento é o FWD -falling weight deflectometer. Para fins de planejamento, as leituras são realizadas a cada 200 m, alternados, e a leitura é feita com o carro parado na rodovia, o que exige uma série de ações de segurança, tais como a adoção de veículos batedores e sinalização ostensiva.

Porém, com o iPAVe, os dados de deflectometria são obtidos de forma contínua, aumentando de forma substancial o nível de informação e, consequentemente, a capacidade de entender com mais precisão a condição do pavimento. O componente chave do iPAVe é o Traffic Speed Deflectometer -TSD, equipamento capaz de escanear a capacidade de carga de uma rede rodoviária em velocidade de tráfego, minimizando, desta forma, o uso dos equipamentos tradicionais estacionários ou de baixa velocidade, aumentando a produtividade e diminuindo os riscos de acidentes. O TSD possui feixes de lasers Doplers que permitem obter a velocidade da deflexão do pavimento, oportunizando obter a curvatura gerada pelo eixo do veículo.

O veículo, de origem australiana, já se encontra em solo brasileiro, no pátio da alfândega de Santos, aguardando o término da montagem de equipamentos para realizar o levantamento de 13 mil quilômetros de rodovias federais, sob a jurisdição do DNIT. Com isso, a autarquia poderá obter uma representativa amostra em diferentes climas e condições geológicas para comparar com informações já existentes no banco de dados do órgão.

Com informações Dnit

Compartilhe essa matéria em suas redes sociais

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

+ dessa categoria
Novas tarifas!

Novas tarifas!

Tarifas de linhas semiurbanas de diversas regiões do país são atualizadas

Quase real!

Quase real!

Honeywell melhora sua experiência de treinamento industrial com tecnologia de realidade aumentada

+ categorias