Resiliência é a palavra!
Produção de caminhões no Brasil bate quase 160 mil unidades em 2022 ficando 1.6% abaixo de 2021

Se tem uma indústria que sabe o que é passar por desafios constantes é a de veículos pesados. Entra ano, sai ano sempre tem um “perrengue” para ser resolvido. Depois do Covid 19, ano passado foi marcado pela falta de componentes. Mas mesmo assim, montadoras, cadeia de fornecimento, transportadores e autônomos foram resilientes como sempre e ajudaram os números.

A produção de caminhões no Brasil em 2022 foi de 158,8 mil unidades em 2022, tendo uma pequena retração de 1,6% em relação a 2021 quando foram produzidas 161,8 mil unidades, de acordo com a Anfavea.

“Depois de um primeiro quadrimestre muito difícil em função da falta de semicondutores, o setor acelerou o ritmo e conseguiu atender parte da demanda reprimida nos mercados interno e externos”, afirmou o Presidente Márcio de Lima Leite.

De fato, o segundo semestre veio para recuperar e bem o setor. E claro, o destaque dos segmentos foi o de pesados. Somente ele foi o responsável pela maior parte das vendas. Foram licenciados exatos 65.008 veículos ou 51% dos licenciamentos totais.

Contudo, este ano fica a apreensão no ar. Devido a mudança de legislação do Proconce P8, a expectativa da entidade é uma queda de produção na casa dos 20% e nas vendas de 11%. Com novas tecnologias, os veículos terão aumentos de 12% a 16% nos valores e com certeza fará com que o mercado caia, como é de costume em mudanças como essa. A esperar!

Compartilhe essa matéria em suas redes sociais

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

+ dessa categoria
Atendendo a pedidos!

Atendendo a pedidos!

Volvo já oferece caminhões FH que podem rodar com 100% de Biodiesel

De fretado com Volare!

De fretado com Volare!

Estt Brasil Transportes e Turismo compra sete micros Volare para operação de fretamento

Assento reservado!

Assento reservado!

Avança reserva de assento a pessoa com obesidade mórbida no transporte coletivo

+ categorias