Mais segurança!
Startup investe em novas câmeras com inteligência artificial para monitorar segurança das viagens

A Buser quer aumentar a segurança nas estradas ao levar aos ônibus parceiros um novo sistema de câmeras inteligentes, que funciona como um 3 em 1: tem sensor anticolisão, que detecta com precisão a aproximação de veículos, animais e outros objetos; tem sensor de mudança de faixa sem sinalização; e um último sensor que consegue captar piscadas e olhares desatentos, a fim de prevenir acidentes. A novidade já foi instalada em mais de 50 veículos e a previsão é chegar a 250 ônibus ainda no segundo semestre, o que equivale a 80% da frota fixa que roda com a plataforma atualmente.

O conjunto das três câmeras é controlado por inteligência artificial e conversa com a central de monitoramento da startup, que é avisada em caso de risco iminente, como chance de colisão, mudanças ou desvios de pista sem sinalização e sinais de sonolência, cansaço e desatenção. Funciona assim: uma das câmeras fica posicionada à direita do condutor, no centro do painel, servindo como monitoramento convencional, filmando a cabine inteira; a outra câmera fica posicionada à esquerda do condutor, que é a câmera de fadiga, identificando sinais de sonolência e desatenção; a última, que fica voltada para a pista, possui sensor de anticolisão e de saída de pista.

Em todos esses casos, as câmeras emitem avisos sonoros para o motorista. Por meio de uma integração sistêmica, a Buser programou para que sua central seja avisada toda vez que forem emitidos 3 alertas do mesmo tipo por minuto, para providenciar um alerta extra à cabine do motorista e eventual substituição do condutor. O tempo médio entre a constatação do problema e a resolução leva cerca de um minuto. A plataforma também notifica a empresa parceira sobre o ocorrido.

“Temos investido em itens de segurança dentro dos ônibus desde 2019, o que nos tem trazido muito aprendizado. Como toda inteligência artificial, não basta instalar a máquina, precisamos ensiná-la a parametrizar os comportamentos corretamente, como por exemplo programar os tempos de piscada e desvios no olhar, no caso da câmera de fadiga. A IA não faz tudo sozinha, precisamos interpretar os dados corretamente, programar e analisar”, afirma Evandro Salgado, head de Segurança na Buser.

O executivo explica que, além de investir nas tecnologias, a Buser conta com uma estrutura de monitoramento que funciona 24 horas por dia, sete dias por semana envolvendo mais de 50 pessoas (nas áreas de qualidade, risco e segurança). “Nosso time está lá para acompanhar remotamente as viagens, analisar os dados e agir, se for preciso. É a partir dos indicadores de comportamento no volante que tomamos medidas preventivas para corrigi-los, antes que ocorra um acidente. Além disso, a coleta de dados por meio dessas tecnologias permite que a Buser envie relatórios informativos aos parceiros sobre o perfil de condução e cumprimento de normas e regras de segurança pelos motoristas, aumentando a transparência e a responsabilidade das empresas com a plataforma”, afirma Evandro.

Compartilhe essa matéria em suas redes sociais

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

+ dessa categoria
+ categorias