Leonardo Martins
Transformação digital na gestão de frotas

A transformação digital é uma realidade. Nos mais variados setores, nos mais variados negócios, hoje é possível dizer que uma empresa não se sustenta sem o apoio da tecnologia. Na logística e gestão de frotas não é diferente. De acordo com uma pesquisa da Fenatran (2019), 26% das empresas de transporte não têm soluções para gestão de frotas, 55% desejam investir na aquisição ou modernização desses sistemas e 58% desejam adquirir ou modernizar o sistema de rastreamento. Assim, vemos que o cenário no Brasil ainda é muito incipiente no que diz respeito a digitalização da gestão de frotas e logística, existindo espaço para a implementação de novas soluções digitais que irão aumentar a produtividade das empresas.

Quando falamos de terceirização de frotas, estamos falando inclusive em como realizar a gestão da mesma, assim a transformação digital vem como solução, uma ferramenta voltada para o aumento da visibilidade operacional. Desta forma, o sistema de gestão de frotas funciona como um centralizador de informações, que as recebe e trata, disponibilizando posteriormente dados em forma de indicadores que auxiliam o gestor nas suas tomadas de decisões.

Diante desse cenário de digitalização e automação de processos, internet das coisas (IoT) e conectividade, sabemos de algumas tendências:

1.            Telemetria e Condução Econômica: Uma das principais tendências na gestão de frotas é a maior adoção da telemetria e condução econômica nas empresas. Hoje, o uso de sistemas de rastreamento veicular já está bastante difundido, porém a telemetria ainda é pouco explorada. Conhecer o comportamento dos seus condutores, quantas freadas bruscas ou acelerações excessivas foram cometidas, se houveram eventos de curvas fechadas feitas em alta velocidade, ou se o veículo tem passado tempo demais parado e ligado – indicando uma ociosidade do motor, são informações importantes para se levar em conta quando pensamos na educação dos condutores.

2.            Veículos Autônomos e Elétricos: Muito se tem falado de carros autônomos e elétricos voltados para o consumidor final. No entanto, eles são uma realidade também para frotas. Muito importante analisar individualmente cada comportamento de uso de veículos a combustão, mas muitos cenários para migrar para elétricos já são viáveis e criam uma jornada de migração parcial, sem traumas e com bastante aprendizado junto aos envolvidos. Além disso, há a expectativa de que até 2030 existam mais de 15 mil postos de abastecimento para veículos elétricos no Brasil.

3.            Telemetria e Sensores em Pneus: Os custos com pneus podem representar até 8% dos custos variáveis de uma frota. Diante disso, a telemetria de pneus através de sensores instalados nessas peças vem ganhando espaço. A tecnologia ainda não está financeiramente acessível, porém permite controlar perda de pressão (pneu furado), temperatura do pneu e o seu nível de eficiência. Esses fatores estão diretamente relacionados à vida útil dos pneus e também ao consumo de combustível do veículo, podendo resultar em uma grande redução de custos.

4.            Integração de Sistemas de Gestão: O uso de tecnologias integradas ou sistemas que realizam a integração dos diversos dados operacionais de uma frota, centralizando todas as informações precisam mais do que estarem armazenadas em só local, precisam ser analisadas e transformadas em tomada de decisão pelas empresas. É uma tendência capaz de melhorar significativa o desempenho da gestão de frotas de uma empresa. Hoje os dados de frotas têm uma grande variedade de origens diferentes: ERP, TMS, sistemas de rastreamento, sistemas de telemetria, checklists, cartão de pedágio, cartão de abastecimento e muitos outros. Assim, o gestor tem grande dificuldade em compilar todos esses dados para ter uma visão completa e transparente da sua frota ou perde muito tempo analisando, exportando para o Excel e gerando novos relatórios. A integração dos dados oferece recursos para realizar uma análise de dados mais completa, profunda e rápida, como insights que extrapolam a gestão de frota e invadem a gestão de times comerciais e operacionais pela telemetria, entre muitos outros.

Empresas como a LeasePlan tem apostado em diversas soluções neste segmento como, por exemplo, a solução Portal do Gestor, uma opção completa e integrada, com serviços, monitoramento on-line da frota, muita informação e insights disponíveis. Além de outras opções, como:  atendente virtual do WhatsApp – Lizy; app My LeasePlan – o copiloto dos nossos condutores; e muito mais.

A tecnologia em parceria com a gestão de frotas permite um total controle e transparência, tanto do ponto de vista operacional quanto de custos, contribuindo para uma tomada rápida de decisões, fundamental para o setor logístico.

Leonardo Martins, Diretor Comercial da LeasePlan Brasil

Compartilhe essa matéria em suas redes sociais

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

+ dessa categoria
Por Clara Le Bail

Por Clara Le Bail

Por que o free flow promete acelerar o setor de transporte?

Antonio Ticianeli

Antonio Ticianeli

Reoneração do diesel: Não há medida sem impacto no bolso

Fábio Pozati

Fábio Pozati

Tecnologia, Turismo e Transportes – nosso admirável mundo novo

+ categorias